Gerenciamento do sangue

Você pode fazer a diferença nos resultados dos seus pacientes incorporando procedimentos de sistema fechado para coleta de sangue (CBS) baseados em evidências no programa de gerenciamento de sangue do paciente (PBM) do seu hospital. É demonstrado que o CBS conserva mais eficazmente o sangue, melhora os resultados dos pacientes e reduz os custos quando comparado com os procedimentos convencionais de coleta de sangue.16,21,26-29

Gerenciamento de sangue do paciente (PBM)
O gerenciamento de sangue do paciente (PBM) é a aplicação oportuna de conceitos médicos e cirúrgicos baseados em evidências, projetados para manter a concentração de hemoglobinas, otimizar a hemóstase e minimizar a perda de sangue para melhorar o resultado do paciente.36

Impacto clínico e econômico da coleta de sangue convencional.
Os procedimentos convencionais de coleta de sangue podem resultar em perda de sangue notável, desperdício de sangue desnecessário e risco de contaminação. As implicações clínicas podem incluir anemia, transfusões e infecções hospitalares que podem levar a resultados desfavoráveis do paciente. O aumento dos custos hospitalares também está associado à coleta de sangue de rotina, utilizando métodos convencionais de coleta.1-27
Sistema fechado para coleta de sangue (CBS)

O sistema fechado para coleta de sangue (CBS) é uma solução baseada em evidências.

A adoção do CBS como parte de seu programa de PBM como procedimento operacional padrão na sala de cirurgia e na UTI pode ajudá-lo a alcançar resultados positivos para o paciente, oferecendo ao mesmo tempo assistência eficaz em termos de custos.37

As evidências apoiam o sistema fechado para coleta de sangue (CBS) vs. coleta convencional16,26,27

Reduzir a perda de sangue

Comparação do total de sangue coletado e descartado

O sangue descartado pode ser responsável por

18% a 30%

do total de sangue diariamente coletado de
pacientes críticos26

  • Na UTI, o sangue pode ser coletado de 5 a 24 vezes ao dia1,2
  • O volume extraído por dia pode ser de 26 a 427 mL2-7
  • A perda de sangue semanal devido a flebotomia pode variar de 340 a 660 mL em pacientes de UTI22
  • O sangue descartado a cada coleta de sangue varia de 2 a 10 mL3,10,11

As evidências suportam o sistema fechado para coleta de sangue (CBS) em comparação com a coleta convencional

Reduzir a anemia iatrogênica

A perda de sangue por coleta com descarte pode levar a um declínio da hemoglobina (Hb), que pode contribuir para a anemia.17,20-22

Reduzir a anemia iatrogênica

A anemia está associada à sobrecarga substancial e a um maior risco de lesão de órgãos e mortalidade.1,2,8,31

A redução da anemia induzida pela coleta de sangue diminui a necessidade de transfusão de sangue.33 Além disso, a anemia iatrogênica pode ser reduzida por meio de uma cultura de gerenciamento do sangue.3

  • Cada 50 mL de sangue coletados aumentam o risco de anemia iatrogênica moderada a grave em 18%3
  • Pacientes com > 21 dias de LOS que passam por um aumento na coleta de sangue acima de 3,5 mL/dia correm o risco de um aumento em duas vezes nas transfusões de sangue para corrigir sua anemia3
  • A anemia pode ter um efeito negativo na qualidade de vida do paciente, e está associada a um aumento do risco de morbidade e mortalidade relacionadas ao coração2,31

As evidências suportam o sistema fechado para coleta de sangue (CBS) em comparação com a coleta convencional

Reduzir infecções da corrente sanguínea associadas a um cateter (ICSAC)

O CBS forma uma linha de infusão fechada, e pode reduzir as complicações causadas pela contaminação intraluminal.16

Comparar taxas de contaminação

O CBS demonstrou uma diminuição na contaminação do fluido intraluminal em comparação com um sistema de torneira de três vias (7% versus 61%, respectivamente).3333 Um ensaio controlado randomizado descobriu taxas mais baixas de contaminação por fluido intraluminal com CBS (1,8%) vs. sistema de torneira de três vias (8,2%).16

50.000 pacientes

desenvolvem ICSAC a cada ano nos EUA32

  • Em pacientes gravemente enfermos, a ICSAC é responsável por 19% das infecções32
  • Em UTIs pediátricas, as ICSAC são observadas em 31% das infecções nosocomiais32

As evidências suportam o sistema fechado para coleta de sangue (CBS) em comparação com a coleta convencional

Reduzir as necessidades de transfusão e complicações relacionadas

As transfusões de hemácias estão associadas a diversos efeitos adversos.29

necessidades de transfusão

Na UTI, a redução da perda sanguínea pela coleta através de um melhor gerenciamento do sangue de pacientes pode reduzir a necessidade de transfusões e levar a menos complicações relacionadas à transfusão,19,23,24,26,28que incluem:
  • Lesão pulmonar aguda associada à transfusão (TRALI), sobrecarga circulatória associada à transfusão (TACO), síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA), infecções e pneumonia associada à ventilação mecânica29
  • A transfusão de hemácias tem sido associada a uma maior taxa de infecção pós-operatória em diversas populações2
  • Os pacientes transfundidos apresentam aumento da mortalidade tanto na UTI quanto no hospital, aumento das taxas de infecção, falência de órgãos, maior permanência na UTI28

Sistema fechado para coleta de sangue: tomada de decisão baseada em evidências para um atendimento eficaz em termos de custos.

Reduzir custos hospitalares

Os custos unitários de hemácias variam de

US$ 522 a US$ 118.335 35

  • O sistema fechado para coleta de sangue (CBS) pode ajudar a reduzir os custos hospitalares, reduzindo a incidência de transfusões. 29
  • Os eventos adversos relacionados à transfusão, tanto a curto quanto a longo prazo, estão entre os eventos que mais contribuem para os gastos com a saúde.38
  • Além disso, o CBS pode ajudá-lo a evitar a redução das penalidades propostas para complicações hospitalares (HAC) por meio da redução do risco de contaminação.16

Você pode fazer a diferença nos resultados de seus pacientes, incorporando um sistema fechado para coleta de sangue no programa de gerenciamento de sangue do seu paciente. 37

References:
  1. Tinmouth, A.T., L.A. McIntyre, and R.A. Fowler, Blood conservation strategies to reduce the need for red blood cell transfusion in critically ill patients. CMAJ : Canadian Medical Association journal = journal de l'Association medicale canadienne, 2008. 178(1): p. 49-57.
  2. Vincent, J.L., et al., Anemia and blood transfusion in critically ill patients. JAMA, 2002. 288(12): p.1499-507.
  3. Barth, M.D., et al., Blood Conservation: What Is Current Blood Draw Practice? Journal of infusion nursing : the official publication of the Infusion Nurses Society, 2013. 36(5): p. 323-328.
  4. Smoller, B.R., M.S. Kruskall, and G.L. Horowitz, Reducing adult phlebotomy blood loss with the use of pediatric-sized blood collection tubes. Am J Clin Pathol, 1989. 91(6): p. 701-3.
  5. Eyster, E. and J. Bernene, Nosocomial anemia. JAMA, 1973. 223(1): p. 73-4.
  6. Henry, M.L., W.L. Garner, and P.J. Fabri, Iatrogenic anemia. Am J Surg, 1986. 151(3): p. 362-3.
  7. Andrews, T., H. Waterman, and V. Hillier, Blood gas analysis: a study of blood loss in intensive care. Journal of advanced nursing, 1999. 30(4): p. 851-7.
  8. O'Hare, D. and R.J. Chilvers, Arterial blood sampling practices in intensive care units in England and Wales. Anaesthesia, 2001. 56(6): p. 568-71.
  9. Low, L.L., G.R. Harrington, and D.P. Stoltzfus, The effect of arterial lines on blood-drawing practices and costs in intensive care units. Chest, 1995. 108(1): p. 216-9.
  10. Yucha, C.B. and E. DeAngelo, The minimum discard volume: accurate analysis of peripheral hematocrit. J Intraven Nurs, 1996. 19(3): p. 141-6.
  11. Keller, C.A., Methods of drawing blood samples through central venous catheters in pediatric patients undergoing bone marrow transplant: results of a national survey. Oncol Nurs Forum, 1994. 21(5): p. 879-84.
  12. Holmes, K.R., Comparison of push-pull versus discard method from central venous catheters for blood testing. J Intraven Nurs, 1998. 21(5): p. 282-5.
  13. Walrath, J.M., et al., Stopcock: bacterial contamination in invasive monitoring systems. Heart Lung, 1979. 8(1): p. 100-4.
  14. Shinozaki, T., et al., Bacterial contamination of arterial lines. A prospective study. JAMA, 1983. 249(2): p. 223-5.
  15. Thorpe, S. and A.N. Thomas, The use of a blood conservation pressure transducer system in critically ill patients. Anaesthesia, 2000. 55(1): p. 27-31.
  16. Oto, J., et al., Comparison of bacterial contamination of blood conservation system and stopcock system arterial sampling. American Journal of Infection, 2012. 40(6): p. 530-4.
  17. Thavendiranathan, P., et al., Do blood tests cause anemia in hospitalized patients? The effect of diagnostic phlebotomy on hemoglobin and hematocrit levels. Journal of general internal medicine, 2005. 20(6): p. 520-4.
  18. Salisbury, A.C., et al., Diagnostic blood loss from phlebotomy and hospital-acquired anemia during acute myocardial infarction. Archives of internal medicine, 2011. 171(18): p. 1646-53.
  19. Chant, C., G. Wilson, and J.O. Friedrich, Anemia, transfusion, and phlebotomy practices in critically ill patients with prolonged ICU length of stay: a cohort study. Critical care, 2006. 10(5): p. R140.
  20. Lin, J.C., et al., Phlebotomy overdraw in the neonatal intensive care nursery. Pediatrics, 2000. 106(2): p. E19.
  21. Peruzzi, W.T., et al., A clinical evaluation of a blood conservation device in medical intensive care unit patients. Critical care medicine, 1993. 21(4): p. 501-6.
  22. Page, C., A. Retter, and D. Wyncoll, Blood conservation devices in critical care: a narrative review. Annals of intensive care, 2013. 3(1): p. 14.
  23. Corwin, H.L., K.C. Parsonnet, and A. Gettinger, RBC transfusion in the ICU. Is there a reason? Chest, 1995. 108(3): p. 767-71.
  24. Bateman, S.T., et al., Anemia, blood loss, and blood transfusions in North American children in the intensive care unit. Am J Respir Crit Care Med, 2008. 178(1): p. 26-33.
  25. Corwin, H.L., et al., The CRIT Study: Anemia and blood transfusion in the critically ill—current clinical practice in the United States. Critical care medicine, 2004. 32(1): p. 39-52.
  26. MacIsaac, C.M., et al., The influence of a blood conserving device on anemia in intensive care patients. Anaesth Intensive Care, 2003. 31(6): p. 653-7.
  27. Mahdy, S., et al., Evaluation of a blood conservation strategy in the intensive care unit: a prospective, randomised study. Middle East J Anesthesiol, 2009. 20(2): p. 219-23.
  28. Rezende E, F.M., Manoel Da Silva Junior J, et al, Closed system for blood sampling and transfusion in critically ill patients. Rev Bras Ter Intensiva, 2010. 22: p. 5-10.
  29. Mukhopadhyay, A., et al., The use of a blood conservation device to reduce red blood cell transfusion requirements: a before and after study. Critical care, 2010. 14(1): p. R7.
  30. Hare, G.M., J. Freedman, and C. David Mazer, Review article: risks of anemia and related management strategies: can perioperative blood management improve patient safety? Can J Anaesth, 2013. 60(2): p. 168-75.
  31. Rudis, M.I., et al., Managing anemia in the critically ill patient. Pharmacotherapy, 2004. 24(2): p. 229-47.
  32. De Gaudio, A.R. and A. Di Filippo, Device-related infections in critically ill patients. Part I: Prevention of catheter-related bloodstream infections. J Chemother, 2003. 15(5): p. 419-27.
  33. Crow, S., et al., Microbial contamination of arterial infusions used for hemodynamic monitoring: a randomized trial of contamination with sampling through conventional stopcocks versus a novel closed system. Infection control and hospital epidemiology: the official journal of the Society of Hospital Epidemiologists of America, 1989. 10(12): p. 557-61.
  34. Moron N., J.E., Moreno I., Lazaro A., Dispositivo VAMP Beneficis para el paciente critico. Rev ROL Enf, 2003. 26(9): p. 591-594.
  35. Shander, A., et al., Activity-based costs of blood transfusions in surgical patients at four hospitals. Transfusion, 2010. 50(4): p. 753-65.
  36. Society for the Advancement of Blood Management, Professional Definition of Patient Blood Management (PBM) on homepage, http://sabm.org, retrieved April 17, 2015.
  37. Society for the Advancement of Blood Management®. SABM Administrative and Clinical Standards for Patient Blood Management Programs, 3rd Edition. Unpublished work © 2014.
  38. Shander, A., et al., Estimating the cost of blood: past, present, and future directions. Best Practice & Research Clinical Anaesthesiology, 2007. Vol 21, No. 2, p. 271-289. doi:10.1016/j.bpa.2007.01.002
  39. Tang, M., et al. Closed Blood Conservation Device for Reducing Catheter-Related Infections in Children After Cardiac Surgery. Crit Care Nurse, 2014. Oct;34(5):53-60. doi:10.4037/ccn2014416.
  40. CMS.gov Centers for Medicare & Medicaid Services. Hospital-Acquired Condition (HAC) Reduction Program. https://www.qualitynet.org/dcs/ContentServer?c=Page&pagename=QnetPublic%2FPage%2FQnetTier2&cid=1228774189166
Todas as informações fornecidas pela Edwards Lifesciences são coletadas de fontes de terceiros, e são apresentadas apenas para fins informativos. Essas informações não têm a intenção de descrever, recomendar ou sugerir nenhum uso, recurso ou benefício de qualquer produto da Edwards, e não constituem aconselhamento médico, jurídico ou de reembolso. A Edwards não faz nenhuma declaração ou garantia em relação a estas informações ou à integridade, precisão ou pontualidade destas. Não se pretende fazer uma recomendação sobre a prática clínica. Leis, regulamentos e políticas de pagadores referentes a reembolso são complexos, e mudam com frequência; os prestadores de serviços são responsáveis por todas as decisões relativas a apresentações clínicas, codificação e apresentações de reembolso. Portanto, a Edwards recomenda veementemente a consulta com pagadores, especialistas em reembolso e/ou assessoria jurídica em questões de codificação, cobertura e reembolso.

Please update your browser

Please update to a current version of your preferred browser, this site will perform effectively on the following:

Unable to update your browser?

If you are on a computer, that is maintained by an admin and you cannot install a new browser, ask your admin about it. If you can't change your browser because of compatibility issues, think about installing a second browser for browsing and keep this old one for compatibility